GE recolhe motores visando diminuir atrasos no projeto 777X

A GE Aviation recolheu 4 motores GE9X da Boeing para resolver um problema, antes divulgado, nos compressores que já forçaram o adiamento dos primeiros voos do 777X. Os motores que equipam a aeronave serão recolhidos para atualizações e resolução de problemas anteriores.
Em um comunicado no último dia 19 de Agosto, o Departamento de Transporte dos EUA (DOT), confirmou que empresa Volga-Dnepr Airlines, da Rússia, realizará o transporte dos motores do estado de Washington até Ohio, onde está situada fabrica da GE.
A GE Aviation, confirma que está enviando quatro “motores de conformidade” para suas instalações em Ohio. Os motores são aqueles que irão mover o 777X durante os testes de vôo da Boeing.
“Os motores GE9X são os motores que serão devolvidos para aprimoramentos de componentes do compressor de alta pressão que a GE revelou no show aéreo de Paris”, disse a empresa em nota para o FlightGlobal. “A GE Aviation permanece alinhada com a Boeing nesse esforço enquanto trabalhamos para o primeiro voo do 777X”.
Durante o Paris Air Show, o chef executivo da GE Aviation David Joyce, divulgou que a sua equipe estava retrabalhando um estator no compressor de alta pressão do GE9X. O problema havia sido detectado em maio e estava causando uma alta temperatura nos gases de escape, fora do intervalo esperado, resultando em deterioração prematura do componente.
Joyce disse que resolveriam o problema projetando componentes mais robustos e os instalando nos oito motores relacionados ao projeto de testes do GE9X, incluindo os quatro motores das aeronaves de teste do Boeing 777-9X.
Em julho, a Boeing confirmou publicamente o adiamento dos primeiros voos do 777X de 2019 para 2020, citando os problemas do motor como motivo principal. Apesar dos atrasos, a empresa pretende conseguir as certificações do 777X e realizar a primeira entrega antes do final de 2020, porém ja admite que esse cronograma pode ser refeito.
A Volga-Dnepr pretende “transportar os motores GE9X e equipamentos auxiliares”, de volta para a GE Aviation em um Antonov AN-124, de acordo com o seu pedido de regulamentação junto ao DOT.
As companhias norte-americanas não podem transportar os GE9X, que são embarcados em um suporte de aproximadamente 8 metros de comprimento e mais 4 metros de circuferência, pesando 16.300kg, por motor, segundo a Volga-Dnepr.
“A aprovação da isenção solicitada é necessária para permitir que a Volga-Dnepr responda a uma emergência criada por circunstâncias incomuns que não surjam no curso normal dos negócios”, diz o documento à DOT, empresas não americanas necessitam da autorizaçãovde orgãos reguladores para realizar voos internos. “A falha em entregar os motores por via aérea pode atrasar o teste, a produção e a posterior entrega de aviões da Boeing, o que causaria danos financeiros à GE Aviation, à Boeing e a seus clientes”.


Gostou do artigo? Então não se esqueça de compartilhar com os seus amigos! Obrigado!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *