Companhias podem ser aconselhadas a inspecionar os motores do A350-900

Um novo circular da Rolls-Royce pode levar a inspeções adicionais no Airbus A350-900. Entretanto, a nova diretiva somente se aplica aos motores Trent XWB não atingindo o XWB-97 presente no A350-1000. Certas condições de alto strees poderiam reduzir a vida útil dos motores, mais especificamente no avião da Airbus.

A EASA, agência Européia de Segurança Aérea, propôs uma diretiva de aeronavegabilidade que obrigará inspeções nos LPC’s das aeronaves (compressores de baixa pressão), de modo a verificar desgastes.

“A análise revisada dessas peças, quando a montagem do motor dianteiro está envolvida na condição de segurança contra falhas, foi realizada usando técnicas de modelagem mais avançadas”, explicou a diretiva preliminar da EASA. Na condição de segurança contra falhas, o LPC mais estressado tem uma vida que pode ser substancialmente menor ”.

Utilizando avançados métodos para a analise, s prazos para as verificações são baseados na vida útil. Os motores com menos de 1.700 ciclos seriam verificados dentro de 300 ciclos, enquanto os motores com pelo menos 1.700 ciclos precisariam de inspeções dentro de 300 ciclos ou oito meses, o que ocorrer primeiro. Verificações de acompanhamento já são necessárias a cada 1.000 ciclos. A diretiva propõe avaliações extras de modo a verificar possiveis danos não previstos. As verificações que mostrem “discrepâncias” podem exigir a substituição do conjunto do anel de montagem externo do motor afetado.


Gostou do artigo? Então não se esqueça de compartilhar com os seus amigos! Obrigado!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *